O QUE FAZER QUANDO A RELAÇÃO ESFRIA?

Escrito Por: Camila Fernmandes Publicado em: ROOT Data de Criação: 06/09/2019 Acessos: 205 Comentários: 0

O que fazer quando a relação esfria?

Quais são os sinais de que a relação está caindo na rotina?

O que fazer para retomar os bons momentos?

Saber o que fazer quando o relacionamento esfria não é fácil, não é mesmo?

Nesse momento, as emoções ficam à flor da pele e quando estamos focados no sofrimento da situação, nenhuma solução aparece.

Mas, calma!

Pensando nisso, compartilhamos algumas informações que podem ser valiosas para o equilíbrio da sua relação.

É comum todo relacionamento enfrentar momentos de crises e encruzilhadas.

Quando isso acontece, o relacionamento parece esfriar e o casal fica sem conexão sexual.

Nesse ínterim, é preciso escolher entre transcender para um nível superior ou acabar.

Por isso, esses momentos são muito delicados e desafiadores.

Neles, ambos ficam com emoções fortes, ambiguidades, ansiedades e incertezas.

Dentro do conceito do Amor Evolutivo, esses momentos são denominados crises de curas.

Nessas crises de curas o casal tem a possibilidade de obter maior crescimento como seres individuais e casal, desenvolvendo o amor e o relacionamento.

Por ser um momento difícil, muitas tensões emocionais inconscientes do passado podem aflorar.

Entre os efeitos mais comuns desse período, podemos citar:

Excessos de brigas;

Cobranças;

Desentendimentos;

Vitimismo.

Tudo o que mencionei acima são exemplos, mas é lógico que em cada relacionamento isso se desenvolve de uma maneira peculiar.

O que todos os relacionamentos em crise possuem em comum é que eles deixam de ser gostosos e saudáveis.

Lá no íntimo de cada um, o que ocorre é que o passado está somando com a carga do presente, aumentando incrivelmente a percepção de intensidade do problema.

Para começar as crises de cura que costumam acompanhar a frieza da relação, ambos os parceiros precisam estar dispostos a caminhar para o relacionamento evolutivo.

Uma das características desse relacionamento é que ele incorpora o tantra na rotina do casal.

Agora você deve estar se perguntando o que é o tantra, afinal?

Bem, antes de explicar isso, quero contar para você que o amor é acompanhado de mais duas forças.

A saber: o erotismo e a sexualidade.

O tantra é justamente uma forma de unificar e integrar essas duas forças.

Só que o bloqueio do erotismo e da sexualidade geram sofrimento e doenças no ser humano.

A chave para o relacionamento evolutivo que resgata características tântricas está nessa conexão, e uma das coisas mais responsáveis por mantê-la é a relação sexual.

O sexo nesse tipo de relação não tem pudores, os dois estão abertos ao conhecimento profundo do corpo e da alma, visando sempre o bem-estar mútuo.

Mas, para isso acontecer não pode haver máscaras ou fingimentos, pois essa é a maior barreira que impede que o relacionamento evolua.

Durante as crises de cura da relação, pode surgir alguns desafios envolvendo sexualidade, e elas podem aparecer antes, durante ou após o sexo.

Catalisar é sobretudo, iniciar um processo.

No caso de relacionamentos, o sexo se torna um catalisador de mudanças.

O que significa dizer que ele inicia um processo de mudanças dos parceiros, que costuma aflorar memórias e feridas emocionais que precisam ser curadas.

É preciso estar preparado.

Bom, essas feridas abrangem não somente o sexo, mas muitos aspectos da vida comum do casal.

Prossiga e veja algumas dicas que selecionei especialmente para você.

1. Divida As Tarefas E Responsabilidades

Pode parecer bobagem, mas a divisão justa dos afazeres em comum interfere no sexo.

Quando somente um dos parceiros está absorvido com tarefas que deveriam ser dos dois, um deles inevitavelmente vai parecer desinteressante aos olhos do outro.

Nem preciso dizer que casais de sucesso organizam bem a divisão de tarefas e responsabilidades para que ninguém seja sobrecarregado.

Resumindo, para uma sexualidade incrível, é preciso que os parceiros tenham bastante energia sobrando, e se um fica sobrecarregado, fatalmente a sexualidade do casal será afetada.

Ademais, a  ciência comprovou que casais dividem as tarefas domésticas com maior igualdade fazem mais sexo com mais qualidade e prazer.

Concluindo: Divida as responsabilidades da casa e não seja tão perfeccionista com limpeza e organização, ter mais tempo e energia pro casal é muito mais essencial do que não ter poeira nenhuma nos móveis, não acha?

2. Introduza O Tantra Na Vida E Na Sexualidade

O Tantra é uma filosofia de vida que resgata a beleza de viver, orientada ao prazer.

Ele abre nossos canais sensoriais para que possamos sentir mais prazer no sexo.

Inclusive, para o tantra a sexualidade é sagrada.

Como fazer isso?

O toque e sexo tântrico ajudam.

Toque Tântrico

O toque tântrico é um sutil e leva a energia para a superfície da pele de todo corpo, centro do prazer, para ser feito nas preliminares do sexo.

Utilize a ponta dos dedos, e faça um toque leve que quase não toca, deslize pela pele.

Evite as partes do corpo que seu parceiro possui muita sensibilidade, pois pode causar desconforto.

Respeite o bem-estar do outro.

Explore todo o corpo, deixando as zonas genitais e erógenas por último.

Quanto mais tempo fizer, mais energia e sensibilidade o corpo vai ter e mais prazeroso será o sexo.

Então invista de 10 a 15 minutos no mínimo, para cada um receber o toque.

Sexo Tântrico

Após as preliminares, façam uma meditação de presença com seu parceiro.

Coloquem a mão no coração do outro e respirem juntos por alguns minutos.

Isso é importante porque cria uma intenção positiva para o ato de amor, desde superar problemas a atingir objetivos.

Defina com seu parceiro uma intenção positiva para o ato de amor de vocês.

Se entreguem ao ato de amor.

Atenção aos seguintes detalhes:

Busquem valorizar os movimentos lentos e suaves, colocando atenção plena no corpo para sentir o máximo de prazer;

Conforme o ato progride e vai aumentando o nível de excitação, deixem os movimentos fluírem mais rápidos deixando o corpo conduzir a velocidade e intensidade;

Após o orgasmo, permitam os tremores e espasmos espontâneos do corpo pelo máximo de tempo possível, pois eles indicam um orgasmo pleno e intenso e liberam tensões da rotina e traumas emocionais;

Durante o sexo, o corpo se autorregula e acontecem curas emocionais, além de liberar tensões e espalhar hormônios;

Relaxem e curtam o momento, integrando as sensações da experiência;

Se algum sentimento quiser ser expresso, permita, pois é uma cura emocional que o amor tântrico proporciona.

Deixe um comentário

Captcha